A liberdade

When you want to succeed as bad as you want to breathe, then you’ll be successful.
– Eric Thomas

Sempre que penso em liberdade me vem à cabeça o espaço sideral. Me lembro de quando era criança e sonhava em ser astrônomo, me encantava a ideia de estudar bolas de gases gigantes que nasciam e morriam a milhares de quilômetros de distância. Mesmo com essa sucessão de nascimentos e mortes, a festa no céu é constante, como uma grande orquestra que troca seus músicos sem deixar a música parar.
O astronauta por si só já é uma metáfora pronta, é só escolher a analogia. E quantas vezes eu já o fiz. Pensar na sensação de cruzar a exosfera do planeta e poder deixar tudo para trás, literalmente.
Acho que a essa altura já dá pra notar que, na metáfora em questão, os trajes representam as inseguranças e medos que o acompanham e, ironicamente, o permitem ficar vivo.

Deixando essa coisa de espaço de lado, o desdobramento aqui é sobre liberdade e sucesso. Sucesso esse que vemos e ouvimos desde criança, o motivo pelo qual estudamos, trabalhamos e vivemos, na grande maioria das vezes. Só para deixar claro, o astronauta do parágrafo anterior é extremamente bem-sucedido.

Tenho exercitado muito a ideia de procurar significados não ortodoxos em palavras que julgo importantes, para depois compará-los aos que foram criados e desenvolvidos ao longo da minha vida, que costumo chamar de pensamento ou raciocínio lógico.
Sucesso e liberdade tem sido um ponto de reflexão diário pelo fato de que ando navegando pelas águas da incerteza. Por um lado, tenho certeza absoluta das coisas que já vivi e não quero mais, e por outro, a enorme gama de possibilidades me apetece.
Ambos são igualmente importantes e definem um futuro tão lógico quanto os valores binários de um processador, e me pergunto em qual combinação de 0 e 1 eu encontro essa tal liberdade.

Apesar de parecer complicado, isso não foge do que costumamos chamar de vida. Uma série de acontecimentos e/ou tentativas em sucessão. Em situações controladas, também podemos chamar de método científico, mas isso passa longe do que falamos aqui.

Fui buscar a definição de sucesso no bom e velho Aurélio, e aqui a temos:
1- Aquilo que sucede; acontecimento; fato; caso; acidente. 2 – Êxito, bom resultado.

Pensemos sobre a primeira definição. Aquilo que sucede, aquilo que vem depois, uma consequência, uma reação. Gosto de pensar que a forma com que lidamos com acontecimentos rotineiros define nosso sucesso. Uma sucessão de acontecimentos, mesmo que de caráter negativo, inevitavelmente nos leva a um lugar de maior sabedoria, e sucesso é exatamente utilizar essa sabedoria da melhor forma possível.

Ainda me custa entender que tudo isso não é uma competição, e que o mérito de hoje, a falha de ontem e a incerteza de amanhã não possuem parâmetros gerais de comparação.
Pensando bem, ao passo que faço parte dessa sucessão de acontecimentos, de sucessos e insucessos, vou convergindo mais para um resultado mais absoluto, e assim como o método científico e a lógica dos processadores, a liberdade que busco talvez não esteja tão longe quanto parece.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s